Deus não é simples. Deus é Amor.

     Sobre 1 Coríntios 13, Eclesiastes 3 e 12, Salmos 139, Jó 38, João 17 e 1 João 2.

     Eu sempre vou refutar categoricamente todas as pessoas que tentarem argumentar que Deus, em seu Ser, É simples, e que nossa razão é culpada por torná-Lo complicado. Tentar simplificar Deus pra fugir das armadilhas da racionalidade é uma estratégia furada. Depois de quase 2,000 anos de Cristianismo – 500 só da Reforma, um sem-número de livros, doutrinas, interpretações e denominações, é impossível dizer que Deus é simples.

     O conflito está na incapacidade da nossa razão, tão limitada, de apreender as coisas desde o começo até o fim – uma antítese da Eternidade que foi colocada por Ele no nosso coração. Milhares de anos não deram conta do Ser, que se perde em milhares de perguntas, e Deus não responde à todas elas. Tudo Ele fez apropriado em seu tempo, em Seu Tempo, e tal conhecimento vai além daquilo que podemos conhecer. Estaremos sempre um passo atrás. Ou muitos, muitos. “Nada faz sentido!”, porque é grande demais para que caiba na nossa cabecinha.

     Há muito que se refletir sobre a nossa pequenês quando nos colocamos como um sujeito em busca do conhecimento de Deus, seja na Palavra, ou nas coisas Criadas. Conhecê-Lo é impossível enquanto houver trevas em nosso meio, porque as trevas não compreendem a luz. Será que ainda falta muito, para que conheçamos como somos conhecidos? Não sei. Eu sou só humana. Eu não estava lá quando Ele lançou os fundamentos da terra, delimitou os mares, firmou as estrelas, ensaiou as estações. Não andei com Ele pelos mais profundos abismos, não conheci todos os cantos dos céus, não dou ordens às chuvas, não sou capaz de discernir os milhares de anos de história que convergiram pra formar quem eu e você somos.

     Por isso, muitos fogem, rejeitam, abusam ou fetichizam um conceito de Deus – é um caminho mais fácil que assumir a derrota da nossa razão. Todo o Seu conhecimento é maravilhoso demais e está totalmente além do meu alcance. Ele é elevado demais para que eu O possa conhecer. Mas Ele abriu uma porta. O Deus, criador dos céus e da terra, compartilhou com a humanidade o Seu coração, e nos revelou um segredo maravilhoso – Ele É Amor. E isso, hoje, me importa mais.

     Sim, Ele É Amor nos importa mais. Porque um Deus Grande, Glorioso, Altíssimo, Todo-Poderoso, Eterno, e Santo, É a evidência suprema do quão distantes dEle nós estamos. E estaríamos, pra sempre, se Ele também não fosse Amor. O Amor dobra nossos joelhos, quebranta nosso coração, destrói o nosso orgulho, e convence um Deus Soberano a esvaziar-se de Si mesmo, e tornar-se homem, de carne e osso, como nós. Ele desafiou nossas motivações, nossa justiça, nossa ética, nossas ações, e se entregou, em nosso lugar, bebendo do cálice que era nosso, para abrir uma porta que nos permitiria estar com Ele para sempre, conhecendo-O, e experimentando a satisfação sem fim da Sua Glória.

     Um Deus Criador Grande e Glorioso seria apenas um objeto de terror e um fato lamentável à uma humanidade caída, incapaz de escolher o bem, em vez do mal, e a vida, em vez da morte. Mas, ainda que nós sejamos tão pequenos, Ele nos ama. Uma vez, um amigo viu Deus e Sua Criação como um Pai se deleitando nos rabiscos indecifráveis do filho pequeno – “um dia, meu filho, você se conhecerá, como Eu já te conheço”. Mas, exatamente como o Pai e o filho pequeno, enquanto não crescemos, nos conectamos pela Aliança Eterna do Amor. Se amar como Ele amou, e andar como Ele andou, é estar nEle, eu fico aqui até o fim dos meus dias. Um dia, eu verei face a face, e não mais por espelho; mas, até lá, enquanto minha mente caída apenas consegue imaginar a Sua Glória, eu me contento em saber que Ele é Amor – e isso, basta.

     Photo by George Bakos on Unsplash

31 Devocionais #10 – Façam tudo para a Glória de Deus

     Texto Base: 1 Coríntios 10:31
     
     Um dos princípios mais importantes na vida cristã é o entendimento da grandeza de Deus diante da nossa humanidade. O ser humano é o centro do Amor do Pai, mas não somos o centro do Universo. Somos feitos à imagem e semelhança de Deus, mas não somos como pequenos deuses. Não somos dignos de Glória alguma, pois não podemos nos salvar sozinhos – não podemos sequer mudar a cor de um fio de cabelo da nossa cabeça (Mt 5:36).
     
     Sendo assim, toda a Glória é do Senhor. Qualquer Glória que nós possamos receber na nossa vida, é do Senhor, porque não temos poder algum sem Ele – Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma (João 15:5). Seus dons, sua capacidade de crescer naquilo no qual você se esforça, tudo que você alcança – e o que não alcança – , tudo vem de Deus, e nos foi dado para que nosso propósito em Terra fosse cumprido.
     
     Quando Paulo diz, em 1Co 10:31, que “quer comamos, quer bebamos, façamos tudo para a Glória de Deus”, Ele diz que tudo – tudo, t-u-d-o – que nós fazemos na vida deve ter como objetivo glorificar o nome do Senhor. Isso não vai fazer o mínimo sentido pra você se você ainda não tiver entendido quem você é e qual seu propósito. “Tudo que tem vida louve o Senhor!”, canta o salmista no Salmo 150.
     
     Alimente-se tendo consciência de que seu corpo é templo do Espírito Santo, e agradecendo as mãos que plantaram, cultivaram, compraram e prepararam o alimento. Trabalhe e estude de todo o seu coração (Cl 3:23), sabendo que o Senhor não te leva aonde Ele não vai, e não te coloca onde Ele não vai estar com você. Faça tudo com excelência, e, se seu nome for honrado, não se esqueça de honrar e glorificar o Nome daqueEle que Era e É em você.